Autoral Apae

De coração a coração


Ao  final de 2015 fui agraciado com um convite através da direção da Apae  para ter o meu trabalho na agenda anual da entidade. Foram duas semanas  visitando oficinas de artes, como artesanato, dança, teatro, música,  pintura, costura e bordado com as mães e outros relacionados ao apoio  pedagógico e psicológico, sempre em contato com aquelas pessoinhas que  pareciam viverem em um mundo mágico.
Fiquei simplesmente fascinado,  um bem estar igual havia sentido apenas em ao documentar pelo interior  do Maranhão, famílias de baixo IDH, pequenas produtoras de mel de  abelhas sem ferrão. Parece que estes espaços são divinos ou rodeados de  anjos. Ver em cada pequeno esforço uma grande conquista, ver em cada  sorriso, em cada olhar uma alegria que anunciava verdadeiras vidas. O  grande comprometimento e tamanha paciência pareciam tornar cada  profissional pessoas gigantes. E foi assim que ao sair daquele espaço  entre paredes percebi a minha pequenês, nada aqui fora parece ser  suficiente para o alcance de uma serena felicidade.